InterComfort – O Couchsurfing do Intercom Sudeste 2015

Tags

,

intercom

A hospedagem solidária é a melhor forma de conhecer gente legal durante um evento na sua Universidade e, de quebra, garantir a participação de colegas que estão com a grana curta! Abrir as portas de sua casa pra um colega também é uma ótima forma de estabelecer contatos e conexões com futuros profissionais da sua área. 😉

O Intercom Sudeste 2015 acontece no campus Santa Mônica da Universidade Federal de Uberlândia entre os dias 19 e 21 de junho. Tem uma vaguinha sobrando no seu sofá durante esse período? Inscreva-se no InterComfort e mediaremos o contato com um colega que esteja precisando!

Para se inscrever, basta clicar aqui.

Fonte: Intercom

Anúncios

Site disponibiliza mais de 300 audiolivros de graça

Tags

, , , ,

O Projeto Livro Falado tem em seu acervo mais de 300 audiolivros, com obras de grandes autores nacionais e internacionais. O site é voltado para pessoas com deficiência visual.

Títulos como “O Pequeno Príncipe”, de Antoine de Saint-Exupéry; “Laços de Família”, de Clarice Lispector; e “Morte e Vida Severina”, de João Cabral de Melo Neto, estão na seleção.

Para ouvir as histórias, basta fazer um cadastro simples e depois clicar no livro desejado. Clique aqui e conheça o acervo!

Fonte: Catraca Livre

11 sites para exercitar seu cérebro

Tags

, ,

FOTO: FLICKR/ CREATIVE COMMONS – TSEVIS

Convenhamos, a internet é muito mais do que Facebook e Youtube. Então decidimos reunir alguns sites que podem ajudar você a aproveitar muito mais a rede e, ao mesmo tempo, exercitar seu cérebro.

Confira nossa lista!

Digital Photography School — Apesar de estar em inglês, esse site pode ajudar na sua evolução como fotógrafo oficial da família ou até mesmo dar dicas para quem tem o interesse de seguir na profissão. Além de disponibilizar matérias sobre o tema, você ainda pode conhecer grupos e comunidades com discussões que irão ajudá-lo na fotografia.

Duolingo – Um dos aplicativos de idiomas mais conhecidos, o Duolingo faz muito sucesso por aliar diversão com o aprendizado de línguas. O site (também disponível para smartphones) envolve e incentiva com uma maneira muito menos densa de educação.

Factsie — Também em inglês, o Factsie é um bom compilado de “fun facts” – ou fatos curiosos – como, por exemplo: você sabia que os cabos dos elevadores da Torre Eiffel foram cortados durante a ocupação alemã na Segunda Guerra Mundial para que Hitler tivesse que subir pelas escadas? Eu também não!

Freerice — Não é bem um Duolingo, mas você pode exercitar seu vocabulário em inglês e ainda por cima doar alguns grãos de arroz para quem precisa. Quanto mais tempo você passa no site, mais grãos são doados. Acesse o Freerice para conhecer o projeto!

Gibbon — O Gibbon é um site que reúne inúmeros artigos e estudos publicados mundo afora. Com temas diversos, você também encontrará vídeos de aulas para ficar mais antenado no mundo.

Instructables — Esse possui inúmeros esquemas de “passo a passo”, de pulseiras a torres de LED. O Instructables mostra que você provavelmente é capaz de muito mais do que imagina, talvez só esteja faltando aquela forcinha.

Quora – O Quora permite que você faça perguntas para especialistas em todos os temas que imaginar, desde engenheiros do Google até professores pré-escolares. Basta fazer sua pergunta para ser respondido por um expert no tema abordado.

Megacurioso – Um site brasileiro que reúne notícias e listas divertidas para que você fique por dentro do que está acontecendo.

Me Salva – É um site para você, que costumava ler o resumo da matéria no caminho da escola antes da prova. O Me Salva é um serviço de educação com vídeos curtos e diretos sobre os temas mais diretos que possa imaginar, sem que entre em desespero no ônibus, perua escolar ou carona dos pais.

Apostilando – Esse site reuniu incontáveis apostilas escolares e técnicas para auxiliar você na hora do conhecimento. Acesse e procure um tema do seu interesse!

Khan Academy em português – O serviço é conhecido nos Estados Unidos por dar aulas de reforço, especialmente de matemática, física e química. E, agora, o site conta com versão em português.

Fonte: Revista Galileu

Exposição com obras de Frida Kahlo virá ao Brasil, em setembro

Tags

, , ,

Reprodução

Já comece a programar uma visita a São Paulo em setembro, caso você não more na cidade. O Instituto Tomie Ohtake anunciou a exposição “Frida Kahlo e as mulheres surrealistas no México”. As datas de abertura e de encerramento ainda não foram divulgadas.

Serão expostas obras de Frida Kahlo, artista mexicana e uma das maiores pintoras do século 20 que ficou conhecida por seu trabalho único e por refletir como ninguém o universo feminino. Frida é o nome central da mostra, que também contará com artistas importantes como Maria Izquierdo, Remedios Varo, Lenora Carrington, entre outras.

Fonte: FFW

10 obras clássicas e rápidas de ler

Tags

, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Muitas pessoas sentem vontade de ler, entretanto reclamam da falta de tempo. Este é o seu caso? Para resolver o problema, a Universia Brasil fez uma lista com 10 clássicos da literatura mundial com até 100 páginas, ou um pouco mais. Assim você continua alimentando o seu vício pela leitura mesmo na correria do dia-a-dia.

As obras estão organizadas em ordem alfabética e basta clicar em seus nomes para baixá-las:

1 – O Anticristo, de Friederich Nietzsche
Esta obra do filósofo alemão Friederich Nietzsche faz diversas críticas a Paulo de Tarso, o fundador da Igreja. Uma das frases do livro se tornou mundialmente conhecida: “O Evangelho morreu na cruz”. A obra está disponível em português e tem 60 páginas.

2 – Berenice, Edgar Allan Poe
Berenice é um dos contos mais famosos de Edgar Allan Poe e tem apenas 5 páginas! Ele está disponível em inglês.

3 – The Call of the Wild, de Jack London
Na obra, o autor conta a história de um cão que por consequência de vários fatos acaba se tornando o líder de uma matilha de lobos. A história está disponível em inglês e tem 60 páginas.

4 – Coração das Trevas, de Joseph Conrad
O Coração das Trevas é considerado um dos livros mais importantes da história da literatura e inspirou o filme Apocalypse Now, de Francis Ford Coppola. A obra está disponível para download em inglês e tem 68 páginas.

5 – Um Coração Simples, de Gustave Flaubert
Flaubert se inspirou na criada que serviu a sua família durante toda a vida para escrever “Um Coração Simples”, considerada uma das suas obras-primas. A obra está disponível em português e tem 29 páginas.

6 – O Cortiço, de Aluísio Azevedo
Esta obra naturalista de Aluísio Azevedo é um retrato da vida num típico cortiço carioca, com as dificuldades e dinâmicas do século XIX. A obra tem 118 páginas.

7 – Lost Face, de Jack London
Lost Face é um livro que reúne 7 histórias de Jack London e tem apenas 79 páginas. Aproveite! O download está disponível em inglês.

8 – Memórias Póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis
A obra é narrada em primeira pessoa por Brás Cubas, um “defunto-autor” que conta a sua própria história. Durante o livro são apresentados assuntos como a escravidão, as classes sociais, o cientificismo e o positivismo da época.

9 – A Metamorfose, de Franz Kafka
Numa manhã, Gregor Samsa acorda num corpo de inseto. A partir deste episódio, sua vida e forma de ver o mundo se alteram completamente. O livro está disponível em espanhol e tem 33 páginas.

10 – Senhora, de José de Alencar
O livro conta a história do romance entre Aurélia Camargo e Fernando Seixas, e propõe uma reflexão sobre a influência do dinheiro nas relações humanas. A história tem 133 páginas.

Fonte: Universia

60 filmes para entender História

Tags

, , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Depois de ler tantas apostilas, livros e textos sem fim, você merece um descanso. E que tal estudar um pouco da história geral vendo TV? Sim, é possível! Aqui vai uma lista de 60 filmes pra você aprender e se entreter ao mesmo tempo.

Pré-história
1) A Guerra do Fogo
2) O Elo Perdido

Grécia Antiga e helenística
3) Alexandre
4) Tróia

Império Romano
4) Calígula
5) Átila, o Huno
6) Augustus
7) Spartacus

Idade Média/Feudalismo
8)O Nome da Rosa

9) O Incrível Exército de Brancaleone
10) Cruzadas
11) Joana D’Arc
12) O Sétimo Selo

Grandes Navegações
13) 1492 – A Conquista do Paraíso
14) Cristóvão Colombo – A Aventura do Descobrimento

Absolutismo
15) O Homem da Máscara de Ferro

16) Cromwell

Reforma Protestante
17) Lutero

Renascimento
18) Dom Quixote
19) Agonia e Êxtase
20) Giordano Bruno

Revolução Francesa
21) Os miseráveis
22) Adeus, minha Rainha

23) A Queda da Bastilha

Revolução Industrial
24) Tempos Modernos
25) Germinal

Rússia pré-revolução e Revolução Russa
26) Rasputin
27) O Encouraçado Potenkim

Segunda Guerra Mundial e nazismo
28) O menino do pijama listrado
29) O Pianista

30) A lista de Schindler
31) O Grande Ditador
32) A Vida É Bela
33) A Queda

34) Cartas de Iwo Jima
35) O Resgate do Soldado Ryan
36) Arquitetura da Destruição
37) Olga

Guerra Fria
38) Dr. Fantástico
39) Os 13 Dias que Abalaram o Mundo
40) Topázio

Guerra do Vietnã
41) Platoon
42) Apocalipse Now
43) Corações e Mentes

Luta dos direitos civis dos negros
44) Mississipi em Chamas
45) Malcolm X

América Latina das décadas de 1950 e 1960
46) Diários de Motocicleta

47) Chove Sobre Santiago
48) O Segredo de Seus Olhos

África no século 20
49) O Último Rei da Escócia
50) Diamante de Sangue
51) Hotel Ruanda

52) O Jardineiro Fiel

Crise do socialismo, fim da União Soviética
53) Adeus, Lênin

Conflito entre Israel e Palestina
54) Lemon Tree
55) Paradise Now
56) Promessas de um Novo Mundo

Terrorismo, guerras dos anos 2000
57) Guerra ao Terror
58) Restrepo
59) Caminho para Guantánamo

60) Fahrenheit 9/11

Fonte: Guia do Estudante

ComuniK News esteve na 2ª Bienal do Livro de Volta Redonda

Tags

, , ,

Por Melissa Carísio

A 2ª Bienal do Livro de Volta Redonda está acontecendo até dia 10 de maio, no Condomínio Cultural, na Volta Grande III. A programação deste ano está bastante diversificada e trará desde espaços para expositores, à debates com escritores, palestras, músicos, ballet, capoeira, circo, teatro, contadores de histórias, recitais de poesia, stands e praça de alimentação. As primeiras atrações acontecem na parte da manhã e estão programadas para começar às 09h e terminar às 20h. A classificação é livre e a entrada é franca.

Marinez Fernandes, presidente do Instituto Dagaz – organização pública diretamente ligada à criação e produção do evento – falou em seu livreto apresentativo um pouco sobre a Bienal; “O tema principal é a Diversidade, reunindo todas as formas e expressões culturais em um espaço de coexistência!
O objetivo é fomentar a prática e o hábito da leitura e da escrita, de forma lúdica, em todas as faixas etárias; oportunizar o encontro entre autores e leitores; democratizar o acesso aos variados estilos literários; dar visibilidade aos escritores e escritoras da região e mobilizar toda a população para o fortalecimento da arte e da cultura.”

Daiane Landim trabalha como apoio da Bienal e falou um pouco sobre a importância desse evento para a comunidade, principalmente para o bairro em que está inserida. “É muito importante trazer uma Bienal para a periferia, já que os moradores aqui não tem uma acessibilidade muito grande aos livros, portanto não têm hábito de ler. Outro ponto positivo é estimular a leitura nas pessoas. Dessa forma elas acabam percebendo que a literatura é muito além de uma biblioteca chata. É diversão, história”, explicou.

Stands

Neste ano, a Bienal conta ao todo com 22 stands de exposição, dentre eles de livrarias, lojas, stands universitários, escolas e associações beneficentes. A Associação Arcanjo Gabryel, localizada em Penedo é uma delas.
Desde 1996, a associação sem fins lucrativos, atende jovens e adultos que necessitam de cuidados educacionais e terapêuticos especiais, seguindo os princípios da Terapia Social, teoria que estimula a vontade, desenvolve o equilíbrio e fortalece o equilíbrio dos assistidos.

Trabalhos artesanais desenvolvidos pelos internos.

Trabalhos artesanais desenvolvidos pelos internos.

Quem quiser acompanhar as novidades da Associação, basta clicar aqui e acessar a página no Facebook. A festa junina do Arcanjo Gabryel acontece em 28 de junho e é uma das mais aguardadas pela cidade! Todos estão convidados! 🙂

Já na sala dos escritores, a editora Off Flip, foi criada em 2008 para estimular o crescimento dos autores locais. Atualmente contam com uma programação literária em Parati, que acontece juntamente com a festa da cidade.
A escritora Simone Mota falou um pouco sobre o lançamento de seus livros infantis, uma coletânea de seis títulos pelo Selo Off Flip.

“Eu escrevo de tudo. Mas como tenho filho pequeno, aliei isso à escrita. As crianças trazem consigo coisas muito positivas: a sinceridade e a franqueza. Elas são muito transparentes. Ou elas gostam de alguma coisa ou não. Se você escreve pra elas, tem um feedback legítimo”, disse.

Para ela, ler é importantíssimo, porque isso é o que nos mantém férteis. “O livro precisa causar alguma coisa no leitor. Seja sentimentos bons ou ruins. A arte não tem motivo nem razão de existir se não despertar nada em alguém”, finalizou.

“Eu não gosto de…” é uma das coleções divulgadas pela autora.

Já o stand da Construtora Aceplan, um dos co-patrocinadores do evento, esteve bastante movimentado. As crianças que colorissem um desenho de forma bastante original estariam concorrendo a um tablet.

Os desenhos feitos por eles foram expostos! :)

Os desenhos feitos por eles foram expostos! 🙂

Foi lá que encontrei Josiane Alves, 11 anos e Rayana Souza Freitas, 15 anos. As duas são primas e moram no bairro da Bienal. Elas se interessaram pelo evento e vieram procurar um livro no qual são apaixonadas: O romance do autor estadunidense Nicholas Sparks: “Um amor pra recordar”.  Segundo elas, as duas leem bastante.

Concentração é fundamental.

Concentração é fundamental.

Convidados especiais

Além da Sala dos Escritores, em que mais de 50 autores vieram de diversos locais para discursar, a Tenda Dagaz trouxe inúmeras palestras.
Tupã Darcyr, cacique da aldeia Mata Verde Bonita, reserva indígena em Parati, falou um pouco sobre a cultura de seu povo: os guaranis.

Tupã Darcy respondendo as perguntas dos alunos.

Tupã Darcyr respondendo as perguntas dos alunos.

Oi Tupã. Você tem um nome “normal”?

Sim, tenho um nome normal e sobrenome normal. Meu nome é Darcyr Nunes de Oliveira, devido ao Darcy Ribeiro, que fez um trabalho bacana lá na aldeia, aí minha mãe fez essa homenagem. Meu nome indígena é Tupã.

(Se você não sabe quem é Darcy Ribeiro, clique aqui :P)

Como é ser um cacique de uma aldeia? Como funciona essa questão da hierarquia?

Hoje você tem que ser um político. O político da aldeia. A vida de uma aldeia hoje é diferente de uma aldeia de 50, 100 anos atrás. Ela tinha caça, fartura, relacionado aos recursos naturais, e hoje não. Nós líderes temos que buscar fazer parcerias, conseguir remédios, ervas medicinais, buscar a melhoria do saneamento básico, levar dentistas, médicos para a aldeia. Hoje pra você ser líder, não é pra qualquer um.

E como se elege um cacique?
Fui escolhido através de votação.

E o cacique antigo? O que houve com ele?
Ele saiu do cargo. Ah, gente brinca, né… Já estou há dez anos sendo cacique, aí tem vezes que eu falo “ah, quero parar, me aposentar.”

Tupã Darcyr e seu cocar.

Tupã Darcyr e seu cocar.

Como vocês votam numa eleição?
Agora nós temos título, já votamos. Não sei se é obrigado, mas queremos participar dessa nova política do Brasil.

Você acredita que esse sistema em que o “homem branco” vive funciona? Porque a vida de vocês é totalmente diferente da nossa.
Caramba, na minha aldeia eu nunca coloquei um cadeado na porta da minha oca. As pessoas entram pra beber água. Não temos o perigo das pessoas entrarem no seu lar e roubar alguma coisa. Existe respeito. As regras fazem com que o respeito exista.

E quais são essas regras?
Nossa, são tantas regras! Por exemplo, não mexemos com ervas depois que o Sol se põe. Não andamos no escuro, porque acreditamos que o espírito do Sol está descansando e os espíritos do mal nos atacam. Precisamos repousar… Lá na aldeia, os índios dormem cedo… Eu durmo mais tarde um pouquinho, mas não passo das dez horas. Cinco horas já está todo mundo acordado.

E em relação à vida em sociedade?
Eu acredito que quando você trabalha “aqui fora” você precisa estar pronto. Alguns índios saíram da aldeia, se formaram advogados e não voltaram mais. Visam o dinheiro, ter carro, apartamento caro e a cultura indígena não é isso. Pra gente isso não quer dizer nada. O mais importante pra gente é preservar a natureza, porque é dela que nós vivemos.

Com o que vocês gastam o dinheiro?
O dinheiro tem que ser pro básico. O índio sabe trabalhar com a terra, sabe criar um peixe, uma galinha. E quanto menos entrarmos num supermercado, melhor. É uma vergonha um índio entrar num mercado pra comprar aipim e batata.

O que é o básico então?
Sabão. Alguns dos índios da aldeia também estão acostumados a lavar cabelo com shampoo…

Quantas famílias vivem na aldeia?
72 pessoas, 15 famílias.

E como vocês se relacionam?
A minha cultura ela é muito aberta. Eu sou uma das pessoas que sou casado com alguém não-indígena. Ela se apaixonou pela minha cultura e foi viver na minha aldeia. Ela é uma mulher branca. Eu a amo e ela me ama e é assim que funciona.

A rivalidade entre os indígenas, ainda existe?
Eu acredito que o que faz com que uma aldeia lute contra a outra, é a política. Se a política fosse boa pra todos, não haveria luta. Os índios têm que se ajudar.

Você disse que o papel primordial do indígena é a preservação dos recursos naturais. Como vocês lidam com isso?
A nossa oca é feita de palha e as paredes são de barro. E a estrutura que segura o barro é feita de bambu, vem da natureza. Se um dia eu não morar mais na minha oca e quiser derrubar ela no chão, pra terra ela vai voltar. Não vou prejudicar a terra na qual eu fiz a minha casa.

A cultura de vocês acredita em vários Deuses?
Não, só um. Só um Deus só. O nome Nianderu. Eu sou filho do Deus Trovão.

Nós temos uma ideia totalmente errada e absurda que os índios vivem isolados e não entram em contato com a tecnologia. O que vocês costumam usufruir dela?
Na aldeia a gente tem televisão, tv a cabo, internet. Somos uma cultura da natureza, da mata, não nos preocupamos muito com essas coisas. Só paro pra assistir o jogo do flamengo.

E tem índio vascaíno?
No meio de uns mil flamenguistas, tem uns três vascaínos…

E os esportes de vocês? Praticam algum?
Temos a corrida de tora, cabo de guerra, tiro de arco e flecha, lança de longa distância…

Quais projetos estão acontecendo na aldeia agora?
Durante essas próximas duas semanas, 40 índios produzirão filmes, num projeto de capacitação. Esses indígenas querem ser cineastas e levar a nossa cultura para o cinema, não só trazer a cultura de fora.

Você disse que não tem o hábito de assistir TV. Como faz para acompanhar as notícias?
Eu vejo jornal, reportagens. Mas novelas, outras coisas.. não acompanho. Se eu ficar na frente da TV acabo dormindo. Não tenho aquele prazer de sentar. Mas depende da cultura do índio. Tem culturas indígenas que se apegam muito à tecnologia. Não vivem sem TV à cabo, vivem o dia inteiro no Facebook e eu já não tenho esse hábito.

Como funcionam as escolas na aldeia?
A nossa escola é diferenciada, porque é bilíngue. Além das crianças falarem a língua materna, o guarani, aprendem o português como segunda língua.

E as roupas de vocês, como são?
Temos os nossos acessórios de apresentação, do dia-a-dia. Tanga, colares… A tanga é feita de fibra de palha.

Você usa o cocar o dia inteiro?
Não, mas pego nele uma vez ao dia, pelo menos. Me sinto bem.

O cacique é apenas um dos muitos convidados da Bienal. O resto da programação você pode conferir clicando aqui. Visite a Bienal do Livro! Cultive o hábito de ler e estimule aqueles que estão próximos de você!

Dicas para escrever um bom relatório sobre livros

Tags

, ,

Bons livros são capazes de ampliar o entendimento que o aluno tem do mundo e da sociedade e, por isso, são uma das ferramentas de ensino preferidas pelos professores. Uma das atividades mais solicitadas é a produção de relatórios, cujo grau de dificuldade varia de acordo com o nível escolar do estudante.

A introdução do relatório deve ser bem escrita para que o professor tenha uma primeira impressão positiva sobre o que você irá desenvolver durante o texto. Por isso, foque em manter o leitor atento com frases fortes, além de citar o nome do livro e do autor. É indicado que apontem o gênero, o tema e questões voltadas ao ponto de vista do autor da publicação.

Antes de criar o desenvolvimento do texto, faça uma lista com pontos relevantes para o relatório. Devem englobar características de classificação, como se a obra faz parte de uma série, e os pontos de vista que você teve durante a leitura, como se o texto foi bem escrito e se você gostou da experiência. Abuse da mistura entre sua argumentação e informações básicas do livro, para construir um texto bem estruturado.

Para concluir seu trabalho, opte por escrever um ou dois parágrafos que demonstrem sua opinião sobre final da obra, se ela seguiu a linha que se propôs desde o inicio e para qual tipo de público a leitura é recomendável.

Fonte: Universia

Menino de 7 anos arrecada livros e monta biblioteca para crianças sem-teto

Tags

, , , , ,

Mesmo tímido e de poucas palavras, Blake Ansari, 7, já arrecadou quase 6 mil livros nos Estados Unidos em pouco mais de um ano. Ele mobilizou empresas, amigos e instituições por um único desejo: ajudar crianças desabrigadas a ter acesso à leitura.

“Espero que todas as crianças sem casa tenham sucesso em várias coisas. Desejo que eles tenham a chance de ir para a faculdade e se tornem adultos bem sucedidos”, disse ao UOL em um encontro realizado no último dia 21 de março, numa manhã gelada da recém-chegada primavera norte-americana.

A história começa em uma noite próxima ao Natal de 2013, quando a mãe de Blake, Starita Boyce Ansari, leu em voz alta uma série de reportagens publicadas pelo jornal norte-americano “New York Times” sobre o dia a dia de uma menina de 11 anos desabrigada e de sua família. Segundo a reportagem, estima-se que mais de 22 mil crianças morem nas ruas de Nova York, o maior número desde a grande crise econômica mundial de 1929.

Na manhã seguinte, enquanto tomava o café da manhã, o garoto virou para os seus pais e indagou “isso significa que eles não têm uma biblioteca, não é? Eles deveriam ter uma”, lembrou Starita, que é doutora em filantropia, mas parou de trabalhar para cuidar do filho.

“Eu vi que eu devia ajudá-los a ter sucesso”, lembrou Blake sobre o dia em que teve a ideia.

“Não posso dizer não, eu pensei. Se ele quer ajudar as crianças, por que não?! Ele está certo”, contou Starita.

Com a ajuda da mãe e do pai, Nuri Ansari, Blake começou a pedir doações de livros para os amigos. Sua família não perdeu tempo e começou a fazer ligações para os conhecidos com o mesmo pedido.

“Eu falei com meus amigos e eles disseram que poderiam ajudar aos sábados e domingos [na organização dos livros arrecadados]”, lembrou Blake.

Confira a entre vista na íntegra clicando aqui.

Fonte: Uol Educação

Melhore sua oratória com 3 dicas

Tags

, ,

Um diferencial para praticamente todas as áreas de atuação é a boa oratória. É essencial que todos se preocupem em aprimorar a capacidade de falar em público e de conseguir convencer por meio das palavras.

Entretanto, o nervosismo e a ansiedade gerados pela situação dificultam que a maior parte dos indivíduos tenha um rendimento satisfatório ao falar em público. A primeira consequência na fala causada por esses sentimentos é a falta de ar, já que a pessoa inicia o processo de respiração pela boca.

Embora seja uma ação mecânica para o ser humano, muitas pessoas tendem a realizar inspirar e expirar incorretamente. No momento da fala em público, as palavras saem cortadas, demonstrando que o pulmão não tem ar suficiente. Assim, o indivíduo é forçado a respirar pela boca e, consequentemente, não ter uma boa oratória.

O empresário Eraldo Melo, dono de cinco empresas prestadoras de serviços, reforçou a importância de falar bem em público e que o espectador consegue perceber facilmente que algo está errado. Melo já ministrou muitas palestras motivacionais e, por isso, a oratória é um tópico que ele tem amplo domínio.

Para falar bem em público, é essencial que as pessoas pratiquem técnicas de melhora, aprendam como se portar e dediquem-se para ter bons resultados.

1- Saiba como você respira
A forma correta de respirar faz com que o pulmão seja completamente preenchido pelo ar. Segundo Eraldo Melo, “Quando o peito fica mais ‘inchado’, é sinal de que você usa mais a parte superior dos pulmões, não utilizando toda a capacidade do sistema respiratório”. Portanto, note como você realiza esse ato e tente consertar os problemas que você apontar.

Caso você perceba que respira de maneira errada, uma dica é deitar e gastar alguns minutos tentando mexer mais os pulmões do que o peito enquanto realiza o processo. Respire fundo e deixe que o ar entre para que você se sinta mais relaxado.

2- Faça exercícios aeróbicos
Boas opções são caminhadas e corridas leves, porque fazem com que os pulmões se expandam, entrando mais ar. Além disso, os exercícios aumentam a elasticidade e diminuem a rigidez desse órgão.

3- Lembre-se da importância de respirar
Uma dica para não esquecer de respirar enquanto fala é ler em voz alta, para reeducar tanto a respiração como a fala. Assim, esse será um bom treino para que você esteja mais seguro no momento de realizar um discurso em público.

Fonte: Universia